quarta-feira, 23 de abril de 2008

Prémio ProGEO 2008 – Recepção da menção honrosa no Museu do Ferro

Como anunciámos em “post” anterior , realizou-se no dia 22 de Abril (Dia Mundial da Terra), no salão nobre do Museu a sessão solene de entrega da menção honrosa atribuída à Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, pelo projecto do Museu do Ferro & da Região de Moncorvo. A candidatura municipal (instruída pela divisão técnica do Património em colaboração com a equipa do museu e do geólogo Rui Rodrigues, sócio do PARM) versava todo o processo e investimento realizado para a concretização desta instituição cultural, desde 1995 até ao presente, incluindo projectos em curso e ideias para o futuro.

O Presidente da Câmara de Torre de Moncorvo, Engº Aires Ferreira, presidiu à sessão, agradecendo esta menção honrosa e destacando o seu significado para a prossecução do investimento que a autarquia tem realizado no projecto Museu, manifestando abertura para novos passos no sentido de um aproveitamento do património mineiro como recurso turístico. Referiu-se à preocupação do município, desde há largos anos, no sentido de se criar uma imagem de marca de Torre de Moncorvo associada à ideia da “Terra do Ferro”, expressão estampada nas camisolas dos jogadores do GDM (Grupo Desportivo de Moncorvo), criando-se o slogan: “Moncorvo, onde o ferro é a alma da terra”. Aproveitou para informar que esta expressão será inscrita no novo autocarro que a Câmara adquiriu.


Presidente da Câmara de T. Moncorvo na abertura da sessão solene



O Doutor José Brilha, Presidente da ProGEO/Portugal e investigador da Universidade do Minho, explicou que a ProGEO é uma associação internacional sedeada na Suécia, com grupos de trabalho nacionais espalhados pelo mundo, em particular na União Europeia. O prémio de geoconservação atribuído pelo comité português destina-se a galardoar as autarquias que se tenham destacado na preservação do património geológico, e vem sendo atribuído, desde 2004.

José Brilha referiu depois os pontos fortes da candidatura de Torre de Moncorvo, tendo em conta o que já foi feito e as potencialidades para o desenvolvimento futuro de acções de conservação e valorização do património geomineiro na região.

Doutor José Brilha (ProGEO/Portugal) durante a sua intervenção


Ainda o presidente da ProGEO Portugal salientou a importância da escolha desta data para a entrega do Prémio (à Câmara Municipal de Arouca) e da Menção Honrosa à Câmara Municipal de Torre de Moncorvo – é que o dia 22 de Abril é o dia Mundial da Terra e dia Nacional do Património Geológico, e ainda porque acontece no zénite do Ano Internacional do Planeta Terra, o qual decorre desde o ano passado e se prolongará pelo próximo ano. – Acrescentou que esta foi uma forma de se chamar a atenção para os problemas inerentes à sustentabilidade, ao equilíbrio ambiental e para a necessidade de se preservar o património natural.

Por seu lado, o Doutor Diamantino Pereira, também da Universidade do Minho, e que presidiu ao Júri que atribuíu o Prémio e a Menção Honrosa, referiu-se à importância dos parques geológicos ou “geoparques”, como o de Arouca, dizendo que o Museu do Ferro tem potencialidades para evoluir para um projecto deste tipo. Falou das potencialidades de geo-turismo e da existência de uma rede europeia de Geoparques, fórmula que a UNESCO tem procurado desenvolver também noutros continentes, existindo já vários na China, sobretudo associados aos dinossáurios.

Momento da entrega do diploma da Menção Honrosa

Após a entrega do diploma foi visionado um filme antigo de autoria do Dr. Horácio Simões, mostrando a laboração das minas de Moncorvo pela Ferrominas, nos inícios da década de 50, e apresentada uma pequena exposição fotográfica sobre os trabalhos daquela empresa, com base no espólio que nos foi oferecido pelo Engº João Pedro Monteiro de Barros Cabral, sobrinho do falecido Engº Gabriel Monteiro de Barros, director técnico da Ferrominas.

Esta mostra foi complementada por um outro trabalho fotográfico, de autoria do Dr. José Luís Gonçalves, licenciado em design e multimédia, com base num seu trabalho intitulado “Escombros”, sobre o estado das minas trasmontanas em 2005 (fotos e preto e branco, com catálogo), complementadas por um filme, que também ofereceu ao Museu, como referimos num “post” anterior (ver post de 27.02.2008, sobre Contributos para Biblioteca PARM e Centro de Documentação do Museu).

Diploma da Menção Honrosa

O nosso consócio Dr. Rui Rodrigues, geólogo que também colaborou na candidatura, apresentou algumas amostras características da geologia da região, em que abundam as cruzianas (os negativos fossilizados de rastros de trilobites), tendo o encarregado do museu, Nelson Campos, feito uma visita guiada ao Museu, após um “Porto de Honra” com que se celebrou esta Menção Honrosa.

Para saber mais sobre património geológico e Geo-roteiros, ver:

http://www.georoteiros.pt - Neste "sítio" vem mencionado o Museu do Ferro em: http://www.georoteiros.pt/georoteiros/Apagina/P_entidades.aspx?offset=11&CPESQ=N&TIPO_tentidade1=Museus&TIPO_pais=Portugal&SORT_field=Nome%20da%20entidade&pLetra=

http://www.geopor.pt/ - Neste "sítio" vem também mencionado o Museu do Ferro em: http://www.geopor.pt/gne/museus/intro.html

1 comentário:

India disse...

Mais uma vez, os meus parabéns! Continuem o bom trabalho!