quinta-feira, 17 de abril de 2008

18 de Abril - Dia Internacional de Monumentos e Sítios

Em 1982 o ICOMOS (Conselho Internacional de Monumentos e Sítios) instituíu o 18 de Abril como Dia Internacional de Monumentos e Sítios, como forma de chamar a atenção para a importância da salvaguarda e fruição do património arquitectónico e sítios arqueológicos.
Este ano o tema escolhido pelo Ministério da Cultura foi o "Património Religioso e Espaços Sagrados", relevando não só o património religioso cristão, mas, inclusive, lugares sagrados do paganismo pré-cristão.

Cartaz do programa da Direcção Regional da Cultura do Norte


Neste sentido, a Direcção Regional da Cultura do Norte, sedeada em Vila Real, através da sua Direcção de Serviços dos Bens Culturais, localizada no Porto, vão comemorar este dia (18.04.2008), com o seguinte programa:

- 15;00 horas > Santuário de Panóias - inauguração da Sala Professor Joaquim Rodrigues dos Santos Júnior (eminente investigador da arqueologia trasmontana, e que também se interessou pelo famoso monumento rupestre de Panóias). - Acrescentemos que o Prof. Santos Júnior tem fortes ligações ligações a Torre de Moncorvo, terra de naturalidade de sua esposa, tendo os seus herdeiros doado o seu espólio documental e bibliográfico a este município, o qual se encontra guardado no Centro de Memória desta vila. Santos Júnior, entre outros trabalhos, foi autor de um importante estudo sobre os berrões proto-históricos do Nordeste de Portugal, sendo de sua autoria o desenho do javali das Cabanas de Baixo (Vilariça, Torre de Moncorvo), que serve de símbolo desta associação - ver coluna da esquerda, ao cimo.

- 18;00 horas > Igreja de S. Domingos /Sé de Vila Real - comunicação "Património religioso e espaços sagrados", pelo Prof. António Azevedo.

Santuário de Panóias (Vila Real) - fraga com entalhes roqueiros para assentamento de possível templo - Foto IPPAR.

Da nossa parte, e mesmo que não seja no próprio dia (até porque o tempo não está convidativo), sugerimos uma visita aos Monumentos Nacionais e Imóveis de Interesse Público do nosso concelho que estão visitáveis, como por exemplo a igreja matriz de Torre de Moncorvo (Monumento Nacional), igreja românica da Adeganha (Monumento Nacional), igreja da Misericórdia de Torre de Moncorvo ou capela de N. Srª. da Teixeira (Imóveis de Interesse Público).


Igreja matriz de Sant'Iago de Adeganha - foto do Arquivo do PARM

Há outros imóveis de interesse, com destaque para os sítios arqueológicos de Baldoeiro e ruínas de Santa Cruz da Vilariça, mas como não estão sinalizados e se situam em propriedade privada, são de acesso mais restrito.


Igreja matriz de Torre de Moncorvo, vista das traseiras - foto de João Pinto V. Costa, 2008


E, porque não, uma visita ao Museu do Ferro & da Região de Moncorvo, onde poderá ficar a saber algo mais sobre estes valores patrimoniais?

Fica a proposta do PARM.

2 comentários:

Anónimo disse...

Boa noite.Apenas para transmitir que o Prof. António Caldeira Azevedo, orador dessa cerimónia na Sé de Vila Real, é oriundo de Freixo-de-Espada-à-Cinta.Trata-se de um ilustre personagem dessa região, com obra publicada e reconhecida.

PARM disse...

Muito agradecemos esta informação. Não sabíamos, de facto, que o Prof. António C. Azevedo era oriundo de Freixo de Espada à Cinta. Na verdade o apelido "Caldeira" é lá frequente. Apesar de Freixo de Espada à Cinta ser uma vila pequena, com um concelho também pequeno, possui, desde sempre, grande quantidade de pessoas ilustres, que se notabilizaram como missionários, militares, escritores (com destaque para Guerra Junqueiro), historiadores, empresários, etc. Muitos deles estão fora da região, mas nunca esquecem as suas raízes. Além do Prof. António Caldeira Azevedo, salientamos outro importante investigador oriundo de Freixo de Espada à Cinta: António Monteiro Cardoso, autor de uma tese sobre o liberalismo em Trás-os-Montes (editada pela Afrontamento) e o extraordinário romance histórico: "Boas Fadas que te fadem" (edit. pela D. Quixote).
Obrigado ao nosso leitor, pela sua achega.