terça-feira, 19 de maio de 2009

Amigos do Museu do Ferro & da Região de Moncorvo

Como noticiámos em post anterior (18 de Maio), no dia 16 realizou-se um convívio dos Amigos do Museu do Ferro & da Região de Moncorvo, tendo sido atribuídos diplomas e cartões a 25 novos Amigos.
Não tendo sido possível inserir esta informação no "site" do Museu do Ferro (o qual é: http://www.museudoferroedaregiaodemoncorvo.net/
), aproveitamos para dar alguma informação neste blogue sobre os Amigos do Museu do Ferro.
Assim, mais do que uma outra associação, "Amigos do M.F.&R.M." é um grupo informal de pessoas (individuais ou colectivas), que foram agraciadas com o título de "Amigo do Museu" em virtude de doações de objectos e documentos ou prestação de serviços (gratuitamente ou em condições muito favoráveis).

A implementação dos "Amigos do Museu do Ferro" ocorreu o ano passado, no Dia Internacional dos Museus (18 de Maio), em que foram considerados 36 Amigos. Com os actuais 25, "investidos" no passado dia 16 de Maio, o Museu do Ferro tem (oficialmente) 61 Amigos.
Cumpre dizer que a iniciativa partiu de uma proposta feita pelo PARM à Câmara Municipal de Torre de Moncorvo (cf. n/ Ofº. nº 51/pº.02, de 2008.05.16) sendo composta por um Preâmbulo justificativo, seguido de um conjunto de Princípios Regulamentares, de que a seguir damos conhecimento.

Prestamos esta informação porque algumas pessoas nos têm perguntado como podem ser "Amigos do Museu". Na verdade, enquanto não existir nenhuma associação organizada de suporte ao M.F.&R.M., como alguns museus têm, não funciona nenhum sistema de inscrições, com pagamento de quotas, etc., etc. (não descartando de todo esta possibilidade, julgamos que, nesta fase, existindo já o PARM que possui associados e está aberto a novas propostas de sócios, pensamos que poderia resultar daqui uma certa multiplicação de associações); assim sendo, "Amigo do Museu" é, sobretudo, um título, destinado a pessoas que ajudem o Museu de uma forma ou de outra. Assim, a resposta que damos a quem esteja interessado é esta: ajudem o Museu à medida das vossas possibilidades e ficarão habilitados a tornar-se "Amigos". Esta decisão é tomada de parceria entre o PARM e a Câmara Municipal de Torre de Moncorvo.

O Sr. Presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo entrega o Diploma e cartão de Amigo do Museu do Ferro ao Sr. Prof. Doutor Adriano Vasco Rodrigues, autor dos primeiros estudos sobre a Arqueologia do Ferro da região de Moncorvo, em colaboração com sua esposa, a felgarense Drª Maria da Assunção Carqueja (16.05.2009)


Aqui fica o documento de proposta de criação do grupo de AMIGOS DO MUSEU e, mais abaixo, a lista actualizada dos Amigos do M.F.&R.M. (2008 e 2009). Mais informamos que as entidades parceiras do Museu possuem uma versão dessa mesma lista, com a justificação, caso a caso, do porquê da atribuição do referido título de A.M., a qual pode ser consultada no Museu (só não a publicamos aqui para não tornar este post mais extenso ainda):

AMIGOS DO MUSEU DO FERRO & DA REGIÃO DE MONCORVO (grupo informal)

Preâmbulo

As associações e grupos de Amigos de museus são uma realidade comum nos museus de todo o mundo. Em Portugal, desenvolveram-se sobretudo a partir dos anos 80 do século XX, tendo-se expandido na década de 90.
Um dos casos mais antigos do que se pode considerar um grupo de amigos de um museu é o Círculo Dr. José de Figueiredo, associado ao Museu Nacional Soares dos Reis, criado em 1940, sendo hoje designado por Associação de Amigos.
O sítio arqueológico/museu monográfico de Conímbriga, possui, desde há muitos anos, a Liga dos Amigos de Conímbriga. O Museu Nacional de Arqueologia dispõe do GAMNA (Grupo de Amigos do Museu Nacional de Arqueologia), tal como existem os Amigos do Museu Nacional de Arte Antiga, do Museu Nacional do Azulejo, do Museu da Marinha, do Museu do Ar, os Amigos de Serralves, Amigos do Museu da Guarda, Associação de Amigos do Museu do Douro, etc., etc.. Existe até um Grupo de Amigos dos Museus do Sporting, que contribuiu recentemente para o pagamento de obras nas respectivas instalações, além do pagamento de rendas.
Desde 2001 que se realizam Encontros nacionais de Amigos dos Museus, tendo-se constituído uma federação, a FAMP (Federação de Amigos dos Museus de Portugal), que congrega os Amigos dos Museus e entidades similares existentes em Portugal (vd: www.famportugal.pt e Anexo 1)
Um dos objectivos dos grupos de amigos de museus é fomentar o voluntariado, o mecenato e uma maior vinculação das pessoas às instituições museais, fomentando a sua participação em actividades e na própria vida do museu. Este exercício de cidadania concorre para a democratização dos museus, como defende, desde há muito, o movimento Nova Museologia.
Geralmente estas Associações de Amigos de Museus têm órgãos próprios, funcionam independentemente das direcções dos Museus, e têm, inclusive, uma programação própria, devendo, todavia, a sua actuação ser convergente com a missão e objectivos do Museu.
No caso do Museu do Ferro & da Região de Moncorvo, a ideia da criação de um Grupo de Amigos partiu da necessidade de um reconhecimento, que se impunha, da cooperação de uma série de pessoas e entidades, que, ou doaram objectos, ou têm colaborado, de uma forma ou de outra, para a concretização do Museu e para a realização de actividades.
O facto de haver já uma associação que é co-gestora do Museu, o PARM, em que naturalmente os seus membros são amigos do Museu, levaria a uma multiplicação, talvez desnecessária, do número de associações institucionalizadas. No entanto, parecendo-nos útil que houvesse alguma “separação de águas” entre o PARM e o Museu do Ferro & da Região de Moncorvo, sobretudo no que diz respeito às doações específicas para este, entendemos ser do maior interesse a criação de um grupo informal, para já, de certa forma, um título.
O nosso objectivo é que o maior número de pessoas possam vir a ser “Amigos do Museu” , o que significa que com ele terão colaborado de uma forma ou de outra, ficando ainda, de certa forma “obrigadas” à continuidade dessa colaboração. Mas o objectivo essencial é o de se aumentar a identificação de um maior número de pessoas com um Museu que deve ser da comunidade, tornando-se os seus principais agentes de divulgação. Isto parece-nos muito importante, como forma de resolver um certo alheamento da comunidade em relação aos assuntos culturais, levando as pessoas a uma maior participação cívica e envolvimento cultural, bem como a uma maior identificação com um espaço que se pretende representativo de uma história colectiva. Se a comunidade conceber o concelho como o seu Lar, sentirá que o Museu é a sua Sala de Visitas. Assim, numa estratégia inclusiva, há todo o interesse em que todos possam vir a ser Amigos do Museu.
Por outro lado, com as restrições decorrentes uma visão neo-liberal global relativamente à Cultura financiada pelo erário público, julgamos que se impõe cada vez mais o recurso ao voluntariado e à boa-vontade dos cidadãos para preservação e defesa daquilo que lhes diz respeito. Deste modo, a chamada sociedade civil, em que os Amigos dos Museus se incluem, além das clássicas doações de peças para o acervo museológico, podem ter um papel importante como voluntários ou mesmo Mecenas, apelando a valores como a cidadania e a afectividade versus um sistema económico-político cada ver mais materialista, para mais agora, num cenário de crise (económica e de valores).

PRINCÍPIOS REGULAMENTARES / PROPOSTA:
1 - A atribuição do título de Amigo do Museu é uma forma de reconhecimento adoptada pela tutela do Museu (CMTM e PARM) a fim de premiar a colaboração e prestação de serviços ao Museu do Ferro & da Região de Moncorvo, por parte dos cidadãos ou entidades colectivas ou empresariais, enaltecendo os seus gestos, e incentivando outros a fazerem o mesmo.
2 – A atribuição do título de Amigo do Museu deverá ser acertada de comum acordo entre as duas entidades parceiras que tutelam o Museu do Ferro & da Região de Moncorvo (CMTM e PARM), e deverá ocorrer nos dias 18 de Maio de cada ano (Dia Internacional dos Museus).
3 – Deverá ser atribuído o título de Amigo do Museu a pessoas singulares, entidades colectivas ou empresariais que tenham dado um contributo assinalável para o Museu (doação de objectos, oferta de produtos e serviços, ou formas de mecenato), a título voluntário ou a pedido dos responsáveis do Museu.
4 – Neste caso, os Amigos do Museu não ficam obrigados a algo mais do que já fizeram, embora se espere deles a continuidade da sua colaboração e a defesa dos princípios que justificam a existência do Museu (ou seja, a representatividade da nossa terra e a difusão do conhecimento inerente à sua temática), devendo fazer a melhor divulgação do Museu do Ferro & da Região de Moncorvo de forma a motivar a visita de outras pessoas (locais ou de fora da nossa região).
5 – No seguimento dos pontos anteriores, o objectivo da criação de um grupo de Amigos do Museu (ainda que, ao presente, informal), visa a consolidação de um vínculo afectivo que já existe, e que se procura incentivar, no sentido da criação de uma verdadeira rede de afectos, que se pretende, progressivamente, extensiva a toda a comunidade.
6 – Os Amigos do Museu deverão receber um Diploma de Amigo e um Cartão de identificação.

7 – São Direitos dos Amigos do Museu:
a) Aceder gratuitamente aos espaços do Museu (exposição permanente, exposições temporárias e jardins), assim como os seus familiares mais directos. No caso de entidades colectivas, esta deferência deverá aplicar-se apenas às pessoas que compõem o órgão directivo, ou gerência, no caso de empresas – para usufruírem deste direito, deverão apresentar o cartão de Amigo do Museu ao funcionário ou funcionária de serviço no Posto de Recepção;
b) Podem beneficiar de descontos em publicações editadas pelo Museu, assim como objectos de “merchandising”
c) Serão sempre convidados para as actividades do Museu.
8 – Dentro dos Amigos do Museu contemplamos a possibilidade de se virem a distinguir os Amigos Mecenas, no caso de contributos especiais (patrocínio de edições, ou doações significativas para realização de actividades).

Torre de Moncorvo, 18 de Maio de 2008 (Dia Internacional dos Museus)


O Sr. Vice-presidente da Câmara, Engº. José M. Aires, entrega o Diploma de Amigo do Museu do Ferro ao mestre ferreiro Sr. António Carvalho (em 2008)


LISTA DOS AMIGOS DO MUSEU DO FERRO & DA REGIÃO DE MONCORVO (2008-2009):
Adega Cooperativa de Moncorvo – Torre de Moncorvo (2008)
Ademar Tavares (Dr.) – Ermesinde (2009)
Adérito Amaral & José Amaral, Ldª. – Torre de Moncorvo (2008)
Adriano Vasco Rodrigues (Prof. Doutor) – Porto (2009)
Álvaro Serra Leonardo Teixeira – Torre de Moncorvo (2008)
Alves Costa (Engº) – Torre de Moncorvo (2008)
Américo Monteiro (Dr.) – Torre de Moncorvo (2009)
Ana Rodrigues (Arqtª.) – Torre de Moncorvo (2008)
Ancoteq – Larinho, Torre de Moncorvo (2008)
António Basaloco – Torre de Moncorvo (2009)
António Carvalho – Torre de Moncorvo (2008)
António Eduardo Carvalho (Dr.) – Torre de Moncorvo (2009)
António Manuel Andrade (Dr.) – Vila Real (2008)
Armando Almeida Pascoal – Porto (2009)
Augusto Guerra Cardoso – Murtosa (2008)
Bombeiros Voluntários de Torre de Moncorvo – Torre de Moncorvo (2008)
Conceição Ruge Martins-Wazir – Torre de Moncorvo (2009)
EDM – Empresa de Desenvolvimento Mineiro – Lisboa (2008)
Eugénio Cavalheiro (Comdt.) – Torre de Moncorvo (2009)
Família do Ferreiro Meireles – Torre de Moncorvo e Alemanha (2009)
Família Morais Vaz /Qtª. da Portela – T. Moncorvo, Régua e Porto (2009)
Fernando Aires Ferreira (Engº) – Torre de Moncorvo (2008)
Fernando Gil (Engº.) – Torre de Moncorvo (2008)
Florentino Gil (Engº) – Felgueiras, Torre de Moncorvo (2008)
Gabriel Monteiro de Barros (Engº) – falecido, A.M. a título póstumo (2008)
Hélder Ferreira – Peredo dos Castelhanos, Torre de Moncorvo (2009)
Higino Tavares (Dr.) – Ermesinde (2009)
Ilse Semmler – Reinbach, Alemanha (2008)
João Diogo Evangelista – Torre de Moncorvo (2008)
João Manuel Leonardo – Torre de Moncorvo (2008)
João Pedro Monteiro de Barros Cabral (Engº) e Esposa – Cascais (2008)
João Rodrigues (Engº) – Torre de Moncorvo (2009)
Joaquim Norberto dos Santos – Torre de Moncorvo (2008)
Jorge Afecto (Engº.) – Torre de Moncorvo (2008)
Jorge Carqueja Rodrigues (Dr.) – Porto (2009)
Jorge Custódio (Dr.) – S. João da Talha, Lisboa (2008)
José Aires (Engº.) – Torre de Moncorvo (2008)
José do Nascimento Patrício – Torre de Moncorvo (2008)
José Girão (Dr.) – Torre de Moncorvo (2009)
José Júlio Dias – Cerejais, Alfândega da Fé (2009)
José Luís Gonçalves (Dr.) – Coimbra (2009)
José Rentes de Carvalho (Prof. Doutor) – Estevais, Mogadouro (2009)
Junta de Freguesia de Torre de Moncorvo – Torre de Moncorvo (2008)
Leonel Brito (Engº) e Esposa, Drª. Odete Mesquita – Elvas (2008)
Ludovina Rocha Martins – Mirandela (2008)
Manuel Barros – Carvalhal, Felgar (2009)
Manuel Cândido – Torre de Moncorvo (2008)
Manuel Coelho – Felgar (2009)
Manuel Pinto /Qtª. de Vila Maior – Cabeça Boa (2008)
Maria Adelaide Amaral Félix – Torre de Moncorvo (2008)
Maria da Conceição Salgado (Drª. ) e marido, Dr. Edgar Nuno Bernardo – V.N. Gaia (2008)
Maria da Luz Pontes – Torre de Moncorvo (2009)
Maria Manuela Leonardo – Porto (2008)
Marina Cavalheiro Amaral (Engª.) – Torre de Moncorvo (2009)
Oficina do Joe (Joe Horst e Esposa) – Montalegre (2008)
Pedro Gil – Torre de Moncorvo (2008)
QAVE – Quinta das Aveleiras – Torre de Moncorvo (2008)
Rui de Sousa e Rodrigues (Dr.) – Torre de Moncorvo (2009)
Sandra Ruge (Drª.) – Torre de Moncorvo (2009)
Tuna da Lousa – Torre de Moncorvo (2008)
Virgílio Pinto – Carvalhal, Felgar (2008)
Wolfgang Jacobs (Engº.) – Alemanha (2009)


Nota: como se pode ler na proposta regulamentar, decidiu-se que anualmente, no dia 18 de Maio (dia internacional dos Museus), se procederia à actualização desta lista, com inclusão de pessoas ou entidades que tenham prestado novos e assinaláveis contributos, ou corrigindo eventuais esquecimentos.
É nossa convicção que o Museu deve ser a "sala de visitas" da vila e concelho, pelo que deverá ser de todos. Na verdade,
O Museu é Seu!

A direcção do PARM.

2 comentários:

Susana disse...

Quero felicitá- los pela iniciativa! O interior de Portugal precisa de amigos como estes para recuperar a História e Cultura da região.
Continuem!

Vou colocar um link do vosso blogue em: www.aldeiashistoricasdeportugal.blogspot.com

www.susitour.blogspot.com

Projectos como estes merecem ser divulgados.
Sucesso para o vosso projecto!

Cumprimentos, Susana

parm disse...

Obrigado, Susana, pelo seu comentário. Também vimos os blogues correspondentes aos endereços que nos enviou e pudémos dar conta do excelente trabalho que estão a fazer aí nas Beiras!
Os nossos parabéns! Temos que promover uma excursão às Aldeias Históricoas - e aqui desde já lançamos o repto aos nossos associados e amigos.
Contamos também com a vossa visita à nossa região e ao Museu do Ferro, pois temos a certeza que será do vosso agrado!
Cumprimentos,
A direcção do PARM.