quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Palestra sobre Santa Bárbara, no Museu do Ferro


Momento de apresentação da palestra, no auditório do Museu.
.
Realizou-se no passado dia 4 de Dezembro (dia de Santa Bárbara), no auditório do Museu do Ferro & da Região de Moncorvo, uma palestra subordinada ao tema: "Apontamentos para uma Rota de Santa Bárbara no concelho de Torre de Moncorvo". Como se sabe, Santa Bárbara é a padroeira dos mineiros, dos artilheiros, bombeiros e profissões relacionadas com o fogo, sendo ainda a protectora contra as trovoadas. Esta correlação tem a ver com vários motivos relacionados com a vida desta mártir cristã, que terá vivido entre os finais do século III e os inícios do século IV.

Capela de Santa Bárbara do Larinho (século XVIII)

Segundo as fontes cristãs, Santa Bárbara nasceu em Nicomédia (actualmente Ismite, na Turquia), nas imediações do mar da Mármara e não muito longe de Constantinopla, para onde as suas relíquias foram levadas, sendo mais tarde (no séc. X) levadas, na sua maior parte, para Veneza. Santa Bárbara começou por ser encerrada numa torre, mandada construir por seu pai, motivo porque é normalmente representada por este atributo, além da palma de mártir. Tendo-se convertido ao Cristianismo, foi alvo de vários suplícios, que culminaram na execução pelo próprio pai, o qual, como castigo, foi de imediato fulminado por um raio.

Imagem de Santa Bárbara dos mineiros da Ferrominas, actualmente na igreja do Carvalhal

A relação com os mineiros baseia-se numa lenda medieval, segundo a qual a Santa teria sido escondida por mineiros no buraco de uma mina, algures na Grécia; outra hipótese, mais credível, é que Santa Bárbara, por ter sido executada sem os Sacramentos e tendo pedido a Deus que todos os que a ela recorressem, em situação de morte iminente, ficassem logo sacramentados, passou a ser a advogada de todos os que estivessem em situação de risco de morte repentina, como acontece com os mineiros.

video

Registo audiovisual de uma habitante de Açoreira, com reza a Santa Bárbara.

Em todo o caso, o culto de Santa Bárbara no concelho de Torre de Moncorvo, sobretudo a partir do séc. XVIII, tem mais a ver com o receio das trovoadas (e dos seus estragos na agricultura) do que com a actividade mineira, apesar de duas das capelas dedicadas à Santa, uma no Felgar e outra em Carviçais, se encontrarem sobre grandes montes de escórias de ferro (estes pontos poderiam atrair as faíscas, o que pode justificar essa localização). O único caso que tem a ver expressamente com a actividade mineira relaciona-se com a igreja nova do Carvalhal (dedicada a Santa Bárbara), pois esta povoação constituíu-se na expectativa do desenvolvimento das minas de Moncorvo, nos anos 80 do século XX. A imagem da patrona da igreja veio da antiga "capela" dos mineiros, improvisada numa das casas do bairro mineiro da Ferrominas, e terá sido adquirida nos anos 50 do século XX, para apoio espiritual aos mineiros. Aí chegou a celebrar missa o saudoso Padre Rebelo, apesar de os enterramentos se continuarem a fazer na sede da freguesia, que é o Felgar.

Texto, fotografia e vídeo: Nelson Campos/Museu do Ferro & da Região de Moncorvo

Apoio técnico: Drª. Patrícia Rainho (estagiária do Museu do Ferro & da Região de Moncorvo), Dr. Rui Leonardo, Fátima Dias e António Botelho.

Agradecimento: às zeladoras das capelas de Santa Bárbara (Senhoras Domitília, Luzia, Manuela, Conceição Regedor Marcos, Eduarda Gabriel) e às Srªs. Maria da Conceição Monge, Drª. Patrícia Aires, Angelina Lopes (Açoreira), pelas disponibilidade e informações prestadas sobre as capelas visitadas.

_____________

Para saber mais sobre Santa Bárbara, padroeira dos mineiros, ver: http://www.ordeng.webside.pt/Default.aspx?tabid=1761 - com alusão a uma palestra do Prof. Engº. Fernando Mello Mendes no I.S.T. de Lisboa. - Sobre o Engº. Mello Mendes, ver post de 13.08.2010, neste blogue.

Sem comentários: